Ave de falcoaria em voo

O que é a falcoaria?

A falcoaria é uma parceira especial, onde Homem e Ave de Presa unem esforços, com o intuito de caçar presas selvagens no seu meio natural. 

Actualmente, esta prática está, também, ligada ao culto da beleza, do voo e da natureza. 

Conta com uma grande história em todo o mundo e é hoje considerada como Património Imaterial pela UNESCO (também em Portugal).

Em Portugal a falcoaria (ou cetraria) está regulamentada pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas.

 

Como é que a falcoaria é praticada

O baixo-voo

No baixo voo o lance é directo e dinâmico. Neste tipo de lance, a ave de presa saí do punho do cetreiro (ou de uma árvore), em perseguição directa à presa, voando sempre junto ao solo. As aves de presa geralmente usadas neste tipo de lance são açores, búteos ou águias.

Neste tipo de lance o falcoeiro, geralmente com ajuda do cão, procura as presas como coelhos, lebres ou, em alguma condições, aves como perdizes, patos ou faisões. O falcoeiro “bate” o terreno, procurando que a presa abandone o esconderijo e permita que o lance ocorra. 

A ave de presa sai então do punho do falcoeiro (ou de uma árvore), tentando acompanhar os movimentos de fuga, as fintas, da presa para realizar a captura. Os lances são directos e mais curtos do que iremos descrever em seguida, mas ainda assim, podem ter algumas centenas de metros. 

Pela sua versatilidade este é um dos tipos de lance mais praticado em todo o mundo. 

 

A altanaria/altaneria

Falcão peregrino com perdiz cinzenta @Mark Williams

Este é um dos lances que mais apaixona os falcoeiros  pela emoção que transmite. Este tipo de lance é realizado por falcões, sendo um dos seus melhor interpretes o Falcão peregrino (Falco peregrinus).

Neste tipo de lance de falcoaria, geralmente o falcoeiro localiza as presas previamente  (geralmente perdizes, patos), retira o caparão ao falcão, deixando-o voar e ganhar altura. O voo do falcão acaba por bloquear as presas, que se imobilizam para não permitir o ataque do predador. 

O falcoeiro deve esperar que o falcão ascenda sobre o terreno e deve controlar o movimento das presas, tentando evitar que se levantem/fujam antes do falcão estar suficientemente alto, para que tenha uma boa hipótese de captura. 

Quando o falcão está suficientemente alto (dizemos que atingiu o seu tecto) o falcoeiro (geralmente com a ajuda do cão), tenta levantar as presas de forma a que o falcão tenha uma hipótese de captura através de um voo picado vertiginoso. 

Esta modalidade requer grandes espaços abertos, pouco arborizados e é praticada um pouco por todo o mundo.

 

O alto-voo

Este é considerado um dos lances mais espectaculares e difíceis. Pela sua beleza este foi o lance clássico da falcoaria Europeia (o haut-vol). Este tipo de voo é realizado com falcões, geralmente as espécies de maior tamanho (o Gerifalte e o Sacre, por exemplo) , que perseguem as suas presa durante grandes distâncias e muitas vezes a grande altura.

Geralmente, o falcoeiro localiza a presa à distância e retira o caparão ao falcão que observa a sua presa e sai em perseguição. As presas são aves de grande dimensão, como corvideos ou espécies aquáticas, que procuram escapar ao falcão ganhando altura e distância.

Inicia-se, então, uma batalha pela altura que testa as capacidades físicas de predador e presa. Pela distância percorrida o falcoeiro tem, muitas vezes, de acompanhar o lance de carro (ou tradicionalmente a cavalo).

A luta pela sobrevivência desenrola-se, geralmente, no céu. Se a presa for mais forte e inteligente conseguirá evitar o falcão e manter a distância até que o predador se canse. Caso o falcão seja mais forte e consiga alcançar a presa, a captura pode dar-se em pleno voo ou, então, num vertiginoso voo descendente feito pela presa na busca por alcançar algum tipo de refúgio no solo. 

O alto-voo é essencialmente praticado em alguns países Europeus e no Médio Oriente. 

 

Valores/ideais que estão associados à prática

  • A falcoaria privilegia, o bem-estar das aves de presa e a sua manutenção adequada em cativeiro
  • É uma prática completamente natural e ecológica, que se baseia na relação natural entre predador e presa, tal como ocorre desde há milénios, em plena natureza
  • Valoriza a beleza do voo e lance e nunca o número de captura realizado (que é sempre muito baixo)
  • Convoca os seus praticantes à protecção das aves de presa selvagens, das suas presas e habitats
  • Não causa ruído, perturbação, nem deixa resíduos no meio ambiente

 

E as actividades que usam técnicas de falcoaria?

Existem actividades, como demonstração de aves de presa ou controlo de fauna (etc.) que muitas vezes são anunciadas ou descritas como falcoaria mas que, na realidade, não o são.

Nestas actividades, as técnicas desenvolvidas no âmbito da falcoaria, são usadas para o treino de aves de presa que podem dar um extraordinário contributo na protecção da segurança aérea ou educação ambiental (por exemplo).

Estas actividades têm um enquadramento legal e objectivos diferentes da prática da falcoaria.

 

Conclusão

A falcoaria procura, através da relação entre Homem e ave de presa, a captura de espécies cinegéticas no seu habitat natural. É uma prática ecológica e natural,  baseada  na beleza do voo e do lance e que detém, em Portugal, um património cultural incrível.